X

"Our loyalties must transend our race, our tribe, our class, and our nation; and this means we must develop a world perspective." - Martin Luther King Jr.

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Paul Krugman

Deixo aqui uma entrevista e um artigo de opinião de Paul Krugman que achei bastante interessantes e aconselho a sua leitura.

Boas notícias

Foi aprovada a tranche de €14,6 milhões a Portugal pela Troika, eu posso não acreditar que com as actuais condições de pagamento muitos sobrevivamos, ou que seja uma ajuda correcta, porém sei que sozinhos não sobreviveremos, e é com orgulho que vejo, que ao contrário de anteriores Governos, este cumpre!

Ignorância?!

Respondendo ao José Meireles Graça do Forte Apache e ao Henrique Raposo do Expresso, se Portugal fosse só as aldeias de: Mouriscas e Pego (ambas a sul de Coimbra), os nossos problemas desapareceriam todos, fiquem com o vosso Norte, que foram pessoas como vós que nos deixaram assim!

E agora ninguém agradece?

A Cimpor vai continuar em Portugal, apesar da subida de impostos.

Podemos pensar que do ponto de vista da empresa é uma má decisão visto que o objectivo de toda e qualquer empresa é maximizar os seus lucros.
Mas uma empresa instalada há muitos anos em Portugal, das maiores empresas nacionais, com cerca de mil colaboradores actualmente, sabe que não é mudar a sua sede que a vai tornar mais competitiva, mas sim manter-se no seu país a contribuir para que ele não se afunde de vez e não perca todos os seus colaboradores internos que "morreriam" com o afundar de Portugal.

Para aqueles que defendiam a Jerónimo Martins, deviam ser vós a pagar a diferença de impostas paga pela empresa ao Estado antes e depois de se sediar na Holanda.
Aos restantes, acho que faz todo o sentido o agradecimento à Cimpor por não desistir do seu país.

E será que o Porto ainda vai a tempo de descer?

Boavista regressa à I Liga por decisão do tribunal!

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Tristes notícias


Mação voltou a ser notícias, durante este fim-de-semana, nos telejornais, uma vez mais pelos piores motivos, atacado por um incêndio que cobriu de cinza cerca de 200 hectares!
Eu odeio o tempo cinzento, o frio e a chuva, mas odeio ainda mais uma terra cinzenta, espero que chova muito em breve!

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Devo dizê-lo

Quando vi esta notícia, pensei: "Lá vem esta outra vez...".

Mas após ler a notícia devo dizer que, é por estas e por outras que continuo a acreditar na classe política. Existem pessoas boas e pessoas más em todo o lado, mas ao contrário de muito boa gente, que só sabe criticar e caso fossem sujeitos a uma operação não punham os pés no trabalho meses se fosse possível, e esta deputada operada na quinta-feira foi hoje à Assembleia apresentar a sua declaração de voto, quando de certeza podia ter ficado em casa!

Sempre empenhada e lutadora nas suas crenças e valores, são pessoas destas que são precisas, é por pessoas assim que acredito!

Para ir acompanhando

Deixo aqui um novo blog, de amigos, sobre futebol, que desde já aconselho, vão acompanhando!

http://cronicadesportiva.blogspot.com/

Festival da Lampreia em Mação!

Começa hoje em Mação!


Para todos os apreciadores, apareçam! Mais info em http://www.cm-macao.pt/pt/71fc1a7d-9b9c-4456-9eb2-db67057d8fad.htm

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Destaques

  • Com antecedência, fico bastante aliviado, por saber que, em 2013 não haverá tolerância de ponto no Carnaval!
  • Rui Vilar e Luís Palha, dois social-democratas, vão para a administração da REN, já privatizada pergunto se não haverá ninguém a tentar atirar pedras e a chamar-lhes boys?
  • A State Grid, empresa que adquiriu recentemente 25% do capital da REN, vai investir €12 milhões na instalação de um centro de investigação e desenvolvimento em Portugal. Bom trabalho o que este Governo está a fazer no capítulo das privatizações!
  • Aconselho a leitura do Editorial da Revista Sábado!
  • A economia portuguesa recuará 3,3% em 2012, são as novas previsões, ao contrário dos 3% inscritos no orçamento. Com medidas tão duras é bom sinal regredirmos "tão pouco"...

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

In Limbo

É aí que está Portugal, numa União Europeia dividida pelo Euro. De um lado Inglaterra do outro Alemanha e França.

A Alemanha pretende manter o Euro, pagando o mínimo para que tal aconteça, e levando todas as suas decisões inevitáveis até ao limite máximo de tempo possível.
Portugal, cumpridor, tem visto as melhorias no seu pacote de ajuda externa serem adiadas constantemente apesar da sua inevitabilidade, um pacote controlado pela Alemanha e sem demarcação possível.

Do outro lado a Inglaterra insatisfeita com as medidas tomadas na Zona Euro, com o rumo da Europa, tenta demarcar-se e leva consigo alguns aliados, como é exemplo a Itália, através de um plano de crescimento europeu, contando com aqueles que ainda têm autonomia para o fazer.

Portugal não foi chamado a assinar o manifesto, pois está alinhado com Merkel, A. José Seguro critica o facto de Portugal não assinar o manifesto, mas que pode o nosso Governo fazer? Não é fulcral alargar prazos e baixar juros? Claro que é, prova disso foi o PS ter pedido recentemente à Troika que nos desse mais tempo!
Então que fazer nesta Europa partida?

Transportes públicos

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Histórias de encantar

O Eurogrupo aprovou o segundo pacote de ajuda à Grécia, prevê-se que com isso os juros do empréstimo a Portugal voltem a descer, óptimas notícias para Portugal.
Mas o PS quer virar as costas a tudo e a todos, não quer reunir antes do plenário com o PSD para discutir a reforma administrativa autárquica, demarca-se da Troika para poder criticar tudo e todos, enfim, foge aos seus deveres enquanto oposição.
Vindo de um partido que enquanto governo dava cartões de crédito com plafond mensal de €10 mil aos seus ministros e ajudantes, não se pode esperar mais.

Boa leitura

Editorial, Jornal i

Piadolas

Os sindicatos são de tal forma incoerentes, que criticam o Governo por não conceder tolerância de ponto no Carnaval, e depois mobilizam o seu pessoal a trabalhar em prol do sindicato, ficando em casa!

Qual a sua finalidade?

Os Verdes querem tornar o Carnaval um feriado obrigatório.

Após a enorme dificuldade na extinção de feriados, este partido com assento parlamentar quer criar mais um.
Incompreensível!

Intervenção


Deixo aqui uma das minhas intervenções no I Congresso Regional da JSD Santarém, apesar de algum nervosismo, julgo que consegui tocar de forma perceptível nos pontos que considero importantes a debater actualmente.

Eu acredito!

Seguro não se conteve nos elogios a António Costa, dando-o como um exemplo para o Governo em todos os aspectos. Claro que considero António Costa uma pessoa cheia de qualidades, mas tal como todos, também tem os seus defeitos! 

Uma pessoa que ainda hoje sofre inúmeras críticas dos seus tempos de ministro, uma pessoa que não é capaz de inverter a tendência dos restantes municípios portugueses, com uma despesa gigante, não pode ser uma pessoa, perante a qual nos ajoelhamos apenas porque que pensou rápido a sua reforma do mapa administrativo, depois de sabidas as suas lacunas!

Passos Coelho também tem defeitos, mas uma coisa é certa, é por estas e por outras que eu continuo a acreditar nele e na sua política, e não sinto que seja alguém como António Costa, uma pessoa mais capaz.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

2012 em análise

Deixo aqui o Boletim Estatístico do Banco de Portugal referente a Fevereiro de 2012, com o intuito de uma avaliação contínua, da evolução económico-financeira do ANO das nossas vidas.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Conservadorismo/Estupidez?

"clérigo português surge em duas entrevistas a defender que o Governo deveria apoiar mais as famílias, para que a mulher pudesse ficar em casa e “aplicar-se naquilo em que a sua função é essencial, a educação dos filhos”." in Público

A minha vida muda...

Portugal não!

A CGTP em greves.
A comunicação social a denegrir o meu Sporting.
O desemprego em altas.
E a Troika a trabalhar enquanto Portugal anda a jogar ao Carnaval...

Sempre o mesmo Portugal, mudam-se os tempos, mantêm-se as novidades.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

PPPs

"Derrapagem de 280 milhões com as parcerias público-privadas"


Em 2011
fonte: Sol


Mais palavras para quê?

Sucesso!

Portugal voltou hoje aos mercados, os juros voltaram a descer. A grande novidade foi a dívida a 12 meses colocada nos mercados, em que a procura duplicou a oferta!

Mais um grande passo para 2014/2015!

De Luto.

Em 7755 dias de vida, felizmente, nunca perdi ninguém, realmente próximo de mim. Infelizmente, o 7756º foi o dia.

Mentalmente preparado, espiritualmente divagante e apreensivo, fui encarar o pior acto da peça da tua Vida. Atingido por esclerose lateral amiotrófica, com um peso já não superior ao dos comoventes subnutridos africanos, e 83 anos de idade, partiste.

Militar de corpo e alma, de profissão e de vida, regrado, disciplinado, recto, correcto, justo, rígido, devoto, (...), Avô!

Não merecias este último sofrimento e o teu último suspiro foi o teu momento de redenção. A mim hoje dói-me, amanhã não vai passar...

Mas, tal como tu, não vou parar nem desistir nunca, e jamais esquecer a frase que ouvi dezenas de vezes "Estuda, estás a trabalhar para ti!", porque tu "trabalhaste" para nós, para sermos como somos, e sei que graças a ti temos asas para sermos brilhantes!

Nós tomamos conta da Avó, não te preocupes...
Até amanhã.

Questiono-me

António José Seguro disse que, se estivesse no Governo, também aplicaria medidas de austeridade (como se fosse evitável...), mas que as aplicaria que forma mais branda, pois este Governo aplicou-as com tal brutalidade que até vai haver excedente no défice de 2011 em relação ao acordado...

Pergunto-me, onde está essa brutalidade?

A transferência do fundo de pensões da Caixa não foi o verdadeiro factor?
Deveríamos continuar a rodar edifícios e terrenos entre Governo e Institutos Públicos?

Se as medidas em 2011 excederam a dose, em 2012, acabámos de matar o doente!
Se deviam ser mais brandas e de forma mais contínua? Deviam, e os prazos e as metas não deviam? Somos uma União ou a periferia de uma hegemonia?

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Regras?

Numa folha de papel afixada numa parede da sala de imprensa do Conselho de Ministros Europeu explicam-se as 13 regras gerais em aplicação. O ponto número seis refere que os jornalistas que efectuam a gravação dessas ocasiões devem garantir que as câmaras captam apenas o som ambiente e não as conversas entre os ministros. E explicita que, caso as conversas sejam gravadas, as mesmas não podem ser difundidas.

Conversas paralelas

Entre os Ministros das Finanças português e alemão, boas ou más notícias para Portugal?

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

FTS

Licenciado em Economia na Univ. do Porto. PhD em Economia pela Universidade da Carolina do Sul, dissertação do doutoramento sobre "Three Essays on Portuguese Monetary Economics".
Professor de Economia, ex-Ministro das Finanças.

2010

Admitiu que o risco de Portugal pedir ajuda externa era bastante elevado, mas sempre colocou de parte quaisquer conversações com a UE. Colocou na fasquia dos 7% a taxa de juro máxima para Portugal pedir ajuda externa. Valor que veio a ser atingido em Novembro desse ano, como se pode ver no gráfico, sendo a ajuda pedida apenas a 6 de Abril de 2011 com as taxas de juro da dívida a 10 anos a rondar os 8,5%.

2011

Em Janeiro voltou a afirmar que não existia necessidade de pedir ajuda externa, já as taxas de juros estavam nos 7,11%, dando o défice inferior aos 7,3% acordados como a razão para tal, acabando depois por se confirmar que o défice de 2010 tinha ficado nos 8,6%.
Em Março, veio a público dizer que Portugal foi empurrado para o abismo pela irresponsabilidade de quem rejeitou o PEC IV, a oposição, situação que poderia ter sido evitada. Disse ainda que as taxas de juro suportadas na altura eram insustentáveis para o país.
Só um mês depois pediu assistência para o país.


2012

Confirma que o OE2012 dificilmente poderia ser menos apertado, e que o crescimento económico está no tecido empresarial e não no orçamento. Confessa também que desde Novembro de 2010 via a ajuda externa como inevitável apesar de tudo o que declarou posteriormente. Vê o OE2012 e o memorando como boas armas para atingir os objectivos delineados, e para reerguer Portugal, mas que é necessária uma boa resposta europeia para que tudo resulte.
Vê com muito bons olhos o processo de privatizações, como uma  boa oportunidade para Portugal.

Comentário Final:

Fácil de reconhecer, Fernando Teixeira dos Santos, uma pessoa completamente diferente, com ideias diferentes das que aplicou, admitindo os seus erros e fracassos.
Na minha opinião não é a mesma pessoa, ou apenas já não é controlado por outra pessoa...

Boas notícias!

  1. O risco das obrigações do tesouro tem caído a pique neste mês de Fevereiro! Óptimas notícias visto que é no período a 10 anos que tal tem mais impacto, excelente passo dado para voltarmos ao mercados no fim da ajuda externa.
  2. O nosso défice comercial tem caído a pique, no final de 2011, 79,5% das importações eram pagas pelas exportações, um indicador muito bom, que deve deixar todos satisfeitos, pois sem dúvida que este foi o plano escolhido pelo Governo para reerguer Portugal e está a surtir efeito, resta analisar o comportamento das restantes variáveis.
  3. Os gestores públicos da TAP, CGD, CTT, RTP e Empordef não serão abrangidos pelas limitações salariais impostas aos gestores de institutos públicos. Destaco esta notícia porque tenho vindo desde sempre a defender que se queremos um Sector Empresarial do Estado com qualidade, eficiente e competitivo, devemos ter os melhores, devemos competir pelos gestores com o privado, e não é com salários de 5000€ que isso é possível! Excelente notícia a meu ver, demonstra ponderação da parte do Governo ao pensar nos vários casos existentes nas suas empresas e não nelas como um todo!

Quem não pensou no futuro não pode querer milagres!

Os jovens são por condição solidários? Em Portugal pelos vistos já não é assim!, in Público

Não podia concordar mais!

Fiquem lá com a tolerância de ponto (e não se esqueçam da tanguinha), por Henrique Raposo.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

CS a comparar o incomparável!

O executivo irlandês, ao contrário do Governo português, promove a imigração de quadros qualificados para o seu país, introduzindo uma redução fiscal de 30% para quem ganhe mais de 75 mil/€ ao ano.

A comunicação social insiste em fazer estas comparações, procurando aumentar o conflito e o descontentamento entre a população.

É impossível comparar Portugal e Irlanda, tal como, é impossível tomar a mesma "receita" nas duas economias.
O "Tigre Celta" era antes da crise um país com  taxa de crescimento superior à da UE, taxa de tributação das empresas reduzida, a taxa das multinacionais sediadas na Irlanda era cerca de 4%, o seu défice em 2007 era 0% e o desemprego rondava a mesma taxa.

Estão na cara as diferenças entre os dois países, não vale a pena fazer comparações, até porque os portugueses não gostam de pessoas que ganhem tanto dinheiro num ano e Portugal não tem empresas suficientes para acolher a mão de obra altamente qualificada formada cá, quanto mais a de fora.

Ainda há hipóteses...

De ganhar um título!
Já só falta 1 joguinho e marcar mais golos que a Académica! 


Vamos SPORTING!

Destaques!

  • Os ganhos da bolsa nos últimos 3 dias já superaram os prejuízos de 2011!
  • Os computadores portáteis afectam a fertilidade dos homens... (Acho que vou adquirir um iPad!)
  • A Secretária de Estado da Saúde Francesa aconselhou os  sem-abrigo a não saírem de casa com este frio... (?!?!?!?!?)
  • O PCP tá farto de (dizer) asneiras, porra!
  • O actual ambiente na Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT) é uma bomba-relógio, mais um poço de merd* português!
  • O grandioso Estado Social que tínhamos em 2010, em Portugal, levou a um aumento, para 25% dos portugueses a estarem ameaçados de pobreza ou exclusão social.
  • O número de alunos a desistir do Ensino Superior diminui em relação ao ano lectivo anterior, e o valor médio das bolsas aumentou.

My life, your life, our life..

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Mudança

Os titulares de cargos públicos já deixaram de receber avenças na RTP e RDP. Até agora nenhum comentador se mostrou indisponível para continuar a prestar os seus serviços!

Contas públicas

O Governo Sócrates vendeu inúmeros edifícios à Estamo para de seguida os alugar.

Que jogo foi este?

Um exemplo: o Governo vendeu, em 2008, o Estabelecimento Prisional de Lisboa e a prisão de Pinheiro da Cruz. O primeiro foi vendido por €62,2 milhões e a segunda por €81 milhões. A renda mensal do primeiro é de €220 mil, logo, €2640 mil anuais, uma situação que nos deixaria saldo positivo durante quase 30 anos, mais um lançar de contas para as gerações vindouras. Pena que o Estado já deve 19 milhões em indemnizações à Estamo, o que reduz para 20 anos de saldo positivo.

Mas supondo que o EPL é o maior e mais caro edifício prisional vendido em 2008, e sabendo que nestes 4 anos o governo já gastou em rendas de estabelecimentos prisionais cerca de €24 milhões, nem quero imaginar os negócios que foram feitos, nem o que eu e muitos vamos ter de continuar a pagar. (Valores, fonte: jornal i)

Este foi o jogo grego, mas à portuguesa e em menor escala.

Diário Desportivo

Sinto-me envergonhado porque pela primeira vez, Frederico Gil, ganhou um torneio ATP e os jornais desportivos mais lidos de Portugal (e os menos lidos) não deram conta desse acontecimento! (Escrito no dia 7/2/2012 pelas 14:20h)

Vina del Mar, Chile, 06 fev (Lusa) -- O tenista português Frederico Gil conquistou domingo o primeiro título ATP da carreira, ao ganhar o torneio de pares de Vina del Mar, no Chile. 

Ao lado do espanhol Daniel Gimeno-Traver, Gil superiorizou-se à dupla formada pelo também espanhol Pablo Andujar e o argentino Carlos Berlocq, por 1-6, 7-5 e 12-10, ao cabo de 1:22 horas. 

"Ambos estivemos bem esta semana e estou contente com a forma como estou a jogar. Sinto-me muito feliz porque ganhámos o nosso primeiro título ATP. Foi uma excelente semana e vou continuar a trabalhar para o próximo torneio", prometeu Frederico Gil, citado pela sua assessoria de imprensa. 


Um país onde só o futebol, a NBA, os grands slams, os grandes prémios, os tours, etc. é que contam, é um país sem cultura desportiva.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Tristes notícias

Muitas crianças iranianas vão ver a sua infância um pouco mais vazia e incompleta, depois da Barbie, os Simpsons vão ser banidos do país...

O médio internacional português, Danny, estrela do Zenit na liga russa, lesionou-se gravemente e vai falhar o Euro-2012.

Os campos de golfe do Algarve bateram o recorde de um milhão de voltas vendidas, uma pena só o ano passado este bem de luxo tenha começado a ser taxado a uma taxa de IVA de 23%.


O Ministro da Economia grego admitiu não ter lido o memorando da Troika, é triste mas é verdade!

portugal PORTUGAL!

O Eurostat lançou o novo indicador trimestral da dívida pública dos países, o resultado de Portugal foi uma dívida superior a 110% do PIB no fim de Setembro, começaram as críticas!

É impressionante ver do lado socialista críticas a estes valores, por duas razões:

1ª- Foi o Governo Socialista o primeiro na nossa história a romper o tecto de endividamento estipulado de 60% do PIB, e a chegar aos 100%, sem investimentos que sustentem tamanho aumento!

2ª- Este aumento de dívida pública no terceiro trimestre reflecte o recebimento da ajuda externa, durante esse período, ou queriam apenas uma ajuda teórica sem dinheiro para resultados práticos?

Isto é pura demagogia! Criticam o Ministro da Economia, mas sem dúvida ele preocupa-se com a forma de expor Portugal aos Mercados, ao contrário do PS que com afirmações destas, só empurra ainda mais Portugal para o buraco!

Curioso (ou não) não ver comentários à previsão consensual dos bancos de investimento (os conhecidos mercados) de que Portugal não necessita de um segundo resgate, apenas mais €30 mil milhões e um prolongamento dos prazos de assistência e de regresso aos mercados até 2015, óptimas notícias digo eu!

O que difere as duas notícias é que uma é sobre Setembro de 2011 e outra é do dia 6 de Fevereiro de 2012, o PS prefere criticar a primeira, e a mim não me surpreende!

sábado, 4 de fevereiro de 2012

Demagogos!

O Partido Socialista não poupa críticas às nomeações do actual Governo, apesar das pessoas nomeadas terem mostrado resultados na sua vida profissional e demonstrado capacidades para a atribuição do cargo, salvo raras excepções.

Agora que dizer da actual Administração das EP, nomeada pelo Governo Sócrates, com fortes ligações ao PS ela própria, que nomeou recentemente um ex-deputado do PS sem a mínima experiência para o cargo!

Formado em Engenharia de Minas e em Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, Luís Maldonado Gonelha, vai ser director do projecto de eficiência energética! São 3583€ brutos e 716,6€ de subsídios de refeição que pode agradecer ao seu amigo Rui Dinis!

Vamos ver quantas bocas se abrem!

Ando desatento

Há críticos quanto à decisão do Governo não dar tolerância de ponto no Carnaval?

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

O que dizem de nós, e soluções!

Patricia Kowsmann veio através do Wall Street Journal dizer que se a Zona Euro fosse uma família, Portugal seria o filho mais respeitador das ordens dos pais.

Após o pedido de resgate Portugal e o seu Governo tudo têm feito para cumprir as metas previstas, mas isso não chega é preciso uma agenda de crescimento, os investidores continuam a não acreditar em Portugal.

Existem duas soluções para este problema, a primeira é Portugal pedir um ajustamento das metas e prazos propostos, o que teria o apoio de países como Irlanda, Espanha, Itália por razões óbvias. Segundo, os líderes da zona euro deveriam assumir responsabilidade e admitir o óbvio, que estes programas não chegam para salvar um país é preciso fundo para se crescer no curto prazo, e deviam ser eles a dar esse fôlego aos países que precisam.

Uma coisa é certa, se podem acusar lá fora a Grécia de slow-play no que toca a austeridade, o mesmo não podem dizer de Portugal!

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Crise da Dívida, destaques

Notícias importantes e actuais que destaco acerca da crise da dívida na Europa:

-"Quanto mais a troika e o BCE nos emprestam mais difícil é regressar aos mercados" Jornal i

-"Esqueçam a Grécia. É Portugal que vai destruir o euro" Negócios Online

-"Portugal Restructuring Certain; Ireland, Spain Likely-Rogoff" WSJ

-"Fitch. Portugal não representa um risco para a zona euro" iOnline

-""Financial Times": regresso de Portugal aos mercados em 2013 é "inconcebível"" Expresso

-"Governo alemão confirma: Berlim quer ocupar Atenas e talvez Lisboa" iOnline

-"Vigilância europeia do orçamento grego "é inaceitável"" Económico 

Após ler notícias umas tão chocantes, outras tão contraditórias, decidi deixar aqui este leque e deixar ao critério de cada um ajuizar a crise no presente, porque a mim baralha-me!

RPER


Chegou hoje a minha primeira Revista Portuguesa de Estudos Regionais, é uma revista quadrimestral da Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Regional (APDR), esta é a nr. 28 que contém no seu interior:
"Parcerias Público-Privadas: Enquadramento e Avaliação das Concessões Ferroviárias em Portugal"
Autor: Ana Paula Rolland Sobral, José Neves Cruz - Resumo
“A concorrência fiscal entre os municípios portugueses”
Autor: Maria Luísa Coimbra, José Silva Costa, Armindo Carvalho - Resumo
“Auto sustentabilidade das políticas locais e de coesão territorial. Análise das principais alterações no sistema de perequação financeira”
Autor: Helena Curto, Álvaro Dias- Resumo
“O Enquadramento Legal do Endividamento Municipal em Portugal”
Autor: Flora Cunha Lobo, Pedro Ramos - Resumo
“Governança de serviços de infra-estruturas locais nos EUA”
Autor: Nuno Cruz, Sanford V. Berg, Rui Cunha Marques- Resumo
“Endividamento Municipal na Região Centro 2005-2009”
Autor: José Alpendre, Vanessa Almeida - Resumo

Quanto a mim esta revista devia ser leitura OBRIGATÓRIA para todos os autarcas portugueses!

Excelentes notícias!

Portugal voltou hoje aos mercados, vendeu €1500 milhões em obrigações do tesoura a 3 e a 6 meses, melhorando o rácio entre a procura e a oferta na dívida a 3 meses e diminuindo as taxas de juro para valores mais baixos desde o pedido de resgate!

É disto que precisamos para recuperar, da confiança dos mercados, pois só com ela nos conseguiremos voltar a financiar!

Para aqueles que se limitam a criticar:
"I am an optimist. It does not seem too much use being anything else."
Winston Churchill

RAP - Vale a pena ler

"A nata da economia portuguesa

Assim como D. João II teve no Infante D. Henrique um antecessor visionário, também o Álvaro se apresenta às cavalitas de um gigante: Paulo Futre. A exportação de pastéis de nata é o equivalente político da importação de chineses

Quando o ministro Álvaro apontou para o pastel de nata, os parvos olharam mesmo para o pastel de nata. Era dos raros casos em que deveriam ter olhado para o dedo. Teriam constatado que se trata do mesmo dedo com que D. João II apontou para a Índia. Um disse "Oriente" e o outro disse "pastel de nata", mas ambos quiseram dizer "futuro". Neste momento, é óbvio que a aventura dos Descobrimentos teve, como propósito principal (para não dizer exclusivo), o de ir à Índia buscar a canela que hoje faz falta para polvilhar os pastéis de nata. Entre o Príncipe Perfeito e o Álvaro há apenas uma diferença: o segundo não tem um Camões que verta em decassílabos heróicos a gesta da pastelaria.
Assim como D. João II teve no Infante D. Henrique um antecessor visionário, também o Álvaro se apresenta às cavalitas de um gigante: Paulo Futre. A exportação de pastéis de nata é o equivalente político da importação de chineses - que foi também, note-se, um projecto de crescimento dirigido para Oriente.
Examinemos a ideia do Álvaro com a atenção que merece. Se cada pastel de nata for vendido ao preço competitivo de um euro, e supondo que alguém nos oferece todos os ingredientes, basta que Portugal venda 78 mil milhões de pastéis de nata para pagar a dívida. Sabendo que o mundo conta, neste momento, com 7 mil milhões de potenciais consumidores de pastéis de nata, a venda de 11,1 pastéis a cada habitante resolve-nos o problema. Não chega a dois cartuchos por pessoa, e ainda por cima é por uma boa causa. Se, com os 11,1 pastéis, impingirmos uma bica a cada cliente, ainda nos sobra dinheiro para acabar umas obras que estão paradas por falta de verba na Madeira.
Os críticos que pretenderam reduzir a ideia do Álvaro aos seus aspectos mais folclóricos não perceberam, ou não quiseram perceber, que o projecto não pode ser confinado à exportação dos pastéis, mas deve ser integrado numa estratégia de desenvolvimento global. A produção e venda de 78 mil milhões de pastéis fará de Portugal o maior produtor mundial de colesterol. Um investimento paralelo em medicina cardiovascular poderá projectar internacionalmente a ciência portuguesa e contribuir para manter relações comerciais múltiplas com a estrangeirada lambona, que passa a frequentar-nos tanto a pastelaria como o consultório médico. Mãos à nata."

Ricardo Araújo Pereira
 

Dívida dos PIIGS!



Carregar na imagem

Poder Local

Em Portugal existem vários problemas ao nível do poder local, os contratos realizados aos amigos, as empresas públicas criadas, funcionários públicos sem competências, a falta de articulação entre autarquias, etc.

Torna-se evidente e claro que é preciso mudar esta Administração Pública gorda e deficitária.

No entanto é triste ver-se notícias como a de que, Câmara de Braga, após 8 Milhões investidos, no projecto de construção de uma piscina olímpica tenha de desistir do mesmo por falta de verbas, verdade que mais vale assumir prioridades que se tornam evidentes nos tempos que correm a continuar a gastar em infra-estruturas supérfluas à região e ao país, mas foi dinheiro dos contribuintes que se desperdiçou e abandonou.

Este não é caso único, mas é exemplo da articulação inexistente entre a Administração Central e a Regional/Local que se tem verificado em Portugal desde à muito tempo!