X

"Our loyalties must transend our race, our tribe, our class, and our nation; and this means we must develop a world perspective." - Martin Luther King Jr.

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Pergunta

Quantos contratos de trabalho já viram em Portugal (em cargos públicos, sem contar com os recibos verdes) apenas de 12 meses de remuneração?

Portugal

Onde a Justiça mete nojo, onde os valores da família cada vez mais se deterioram!

Uma bela chapada dada pelo Tribunal Europeu dos Direitos Humanos, a este país onde as pessoas se preocupam mais em estragar a vida dos outros do que com a vida destruída que têm, onde a Justiça é para ricos e os brincos para toxicodependentes.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Falam falam falam

Mas sabem o que é a Regra de Ouro das Finanças Públicas?

Política activa

"A bancada do PS tem feito oposição ao Governo em modo suave, a avaliar pela estatística dos instrumentos de fiscalização ao Executivo utilizados desde o início da actual legislatura. Os socialistas somam pouco mais projectos de resolução do que o PSD e até o CDS fez mais recomendações ao Governo. Em perguntas dirigidas ao Governo e a toda a administração do Estado, os socialistas incomodam menos do que os sociais-democratas ou do que os centristas, as duas bancadas que apoiam o Executivo. Carlos Zorrinho, líder parlamentar da bancada socialista, diz que a forma de fazer política do PS "é diferente"."- in Público








Sublinhado da minha autoria, porque achei uma certa piada à frase.

Blogs do Ano 2011

Terminou esta excelente iniciativa do Aventar, o concurso "blogs do ano 2011",  que visou promover e divulgar a blogosfera portuguesa, aberto a todos o que quiseram participar.

O concurso foi dividido em duas eliminatórias, cuja a primeira serviu para determinar os 5 concorrentes de cada categoria a vencer o concurso numa segunda votação.

Agradou-me ter conseguido 110 votos na segunda eliminatória, menos 73 do que na primeira, mas sem 1/10 da divulgação. O blog está a crescer e isso motiva-me!

Fica aqui o meu prémio de 5º classificado na categoria acima referida, muito obrigado a todos!

domingo, 29 de janeiro de 2012

Só muda o cheiro...

"Arménio Carlos reafirmou que "este acordo não é lei" e o que resulta da assinatura do acordo entre o Governo, os patrões e a UGT é "um retrocesso social e civilizacional sem precedentes", uma consequência do acordo entre o Executivo e a 'troika'."

Coisas do diabo!

José Lello, ex-Ministro da Juventude e do Desporto (foi um bom pouso, o Valentim Loureiro que o diga!), desde 1983 na bancada do PS, um verdadeiro político profissional, diz que desconhecia a obrigatoriedade em declarar uma conta conjunta com a mulher de 658 mil Euros ao Tribunal Constitucional...

Diz que não conhecia bem a lei, não é caso único...

Incoerência

Seguro vai colocar as suas propostas no site do PS para não se esquecer daquilo que vai dizendo.

Meta também o que assina, assim não corre o risco de criticar o acordo com a Madeira, porque não gosta da receita aplicada, que por acaso é igual à do Memorando da Troika para o país assinado pelo Governo de Sócrates e apoiado pelo actual líder Socialista.

Grande iniciativa!


A todos os que falam e criticam, o Mundo está em evolução e novas formas de participação cívica, por isso agora não existem desculpas para não contribuírem em prol do nosso país!

sábado, 28 de janeiro de 2012

Descubra as diferenças, se existirem


As cores são iguais, 50% das letras são as mesmas, os intervenientes são os mesmos, só muda mesmo a máscara, Sindicato/Partido.
Será que na assembleia vota o partido ou o sindicato?
E no acordo de concertação  social, quem é que o discutiu, o partido ou o sindicato? Esta é fácil, nenhum...

Madeira

O plano de ajustamento financeiro da região vai ser de 1,5 mil milhões de euros, e será pago em 15 anos a uma taxa de juro igual à do financiamento da Troika a Portugal. Muita benevolência nos prazos de pagamento em relação ao plano nacional, uma vitória para AJJ.

A região terá de reduzir o défice de 3,1% do PIB Regional para 0,8% em 2013, alterar o IVA para a taxa mínima de 5%, taxa média de 12% e taxa normal de 22%, alterar as taxas do IRS para valores iguais aos do Continente e a subida do IRC em 2013.

Enfim, um bom acordo para a Madeira, mais uma vitória para AJJ.

Frases, que ditas por certas pessoas, se tornam curiosas (I)

"Um Governo que toma uma decisão destas (acabar com os feriados de 5 de Outubro e 1 de Dezembro) é um Governo que não respeita a Independência nem a República. É um acto contra a história e contra a cultura. É um acto anti-história e anti-cultura."

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Um pergunta!

Carvalho da Silva, o que é que o senhor fez em prol do país, no actual contexto económico mundial, com significado substancial para mudar para melhor e de forma sustentável?

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Portugal, onde o movimento tem duas faces

Portugal é um país completamente assimétrico quando se compara litoral e interior. Focando ao nível da mobilidade, no litoral assistimos a vias com melhores condições do que as do interior, com mais faixas (compreensível), com mais alternativas e a preços mais baixos!

Dentro das alternativas temos, não só as alternativas rodoviárias, mas também os transportes públicos.
No litoral, nomeadamente em Lisboa e Porto, existe o Metropolitano, existe a carris, com os inúmeros autocarros que cobrem as várias zonas, existem os comboios urbanos e ficamos por aqui. Estes transportes têm um frequência de passagem muito elevada, têm qualidade, são rápidos e baratos! Os preços dos passes mensais para estes transportes rondam os 35€ para metro, carris e ligações urbanas da CP.

No interior, as vias de qualidade "superior" são taxadas a preços exorbitantes, e as alternativas não têm condições  nem de segurança nem são suficientemente eficientes para quem todos os dias se desloca entre concelhos para trabalhar, com os preços dos combustíveis a aumentar, os impostos inerentes aos veículos idem, os transportes públicos não constituem alternativa! Na grande maioria das localidades as carreiras passam de madrugada e ao fim do dia, e o preço do passe mensal mínimo ronda os 25€ para deslocações muito curtas e  ronda os 100€ para viagens mais longas (preços retirados do sítio na Internet da rodoviária do Tejo). Os comboios não são claramente alternativa, quer pela sua frequência quer pelo número de estações existentes.

Temos então um país a duas velocidades, de um lado as grandes metrópoles, com preços bastante acessíveis para os residentes que usufruem dos serviços públicos de transporte e vias de trânsito com qualidade e com fácil mobilidade entre centro e periferia, do outro lado temos um interior com preços de deslocação elevadíssimos, e sem alternativas para o trabalhador/empregador/estudante.

Hoje mais um golpe foi dado para os cidadãos residentes fora destes grandes centros, o preço do bilhete de metro aumentou, aquele bilhete que só os utilizadores ocasionais compram, aquele bilhete que as pessoas do interior compram quando vão a uma consulta de medicina especializada que só há na capital ou no Porto, aquele bilhete que os reformados e pensionistas compram para se deslocarem ao serviço de saúde, aqueles bilhetes para as pessoas que já sofrem de uma desvantagem em termos de mobilidade vão ficar mais caros!

Há pessoas que falam em justiça social, em Estado social mas esquecem a equidade e a justiça territorial. Portugal não é só mar!

PORTUGAL CONCORDIA!?!?

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Medo

"A Censura constituiu, na verdade, uma peça central da estrutura orgânica do Estado Novo, do seu aparelho repressivo, propagandístico e de enquadramento político-ideológico da população, de tal modo relevante para a ditadura que não nos podemos dar por satisfeitos com o que já a seu respeito conhecemos. Com efeito, a intervenção da Censura ultrapassava, em muito, os cortes, as suspensões e proibições a nível da imprensa e do livro, a que habitualmente a associamos. Além disso, a Censura abrangia, igualmente, a rádio, a televisão, o cinema, os espectáculos, as artes plásticas, a música, o ensino. As suas consequências, na esfera do ensino, da formação das mentalidades, e no condicionamento político-ideológico dos portugueses foram tão importantes que não duvidamos da necessidade de se aprofundarem as investigações neste campo."
Não queiramos voltar a um passado triste e vil...
RDP acaba com espaço de opinião que serviu de palco a críticas duras a Angola

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Frases, que ditas por certas pessoas, se tornam curiosas

"Não podemos permitir que o descrédito se instale nas novas gerações"

Voto à nascença em 2032?

Wahnsinn!!!!

Voluntarismo

Acredito que quem dê seja porque quer dar, ser voluntário deve ser um orgulho e não um interesse.

Hipocrisia?

Ana Drago, especialista em interpretar discursos de forma única e invulgar, deputada do Bloco de Esquerda vai de carro e motorista a uma iniciativa do "Parlamento dos Jovens"...

domingo, 22 de janeiro de 2012

Blogs do ano 2011

A todos os que votaram em mim, o meu muito obrigado!
O meu objectivo era este, e apesar de saber que a massificação das redes sociais foram uma grande ajuda para a passagem deste blog à segunda eliminatória, sei que muitos destes votos foram obtidos com todo o mérito!
Este é um passo de gigante para a sua evolução!

Um exemplo de Patrão

Para empresas e Governo!

sábado, 21 de janeiro de 2012

Frases que marcam o presente!

"Senhores da Troika, estamos aqui por nós, não por vós!" - Pedro Passos Coelho, 21 de Janeiro de 2012

PR - Ponderação e Responsabilidade?

«É necessário um sobressalto cívico que faça despertar os portugueses para a necessidade de uma sociedade civil forte, dinâmica e, sobretudo, mais autónoma perante os poderes públicos» - 09-03-2011, discurso de tomada de posse para um segundo mandato em Belém do Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva.

Já que ninguém o fez, o nosso Presidente decidiu tomar a iniciativa.

As declarações eram desnecessárias. O PR pela experiência e ponderação que tem, devia ter medido aquilo que disse. Era óbvio que tais declarações não são socialmente aceitáveis e, para além de causarem desconforto na população, conduzem uma série de duras críticas.

A verdade é que Cavaco Silva possui duas reformas, uma da Caixa Geral de Aposentações e outra do Banco de Portugal, para as quais descontou durante a sua vida. Se alguém tenciona colocar em causa os valores das mesmas, não é por aí que desejo ir, isto porque cada um recebe (recebia) tendo em conta aquilo que descontou, e vive consoante as suas possibilidades.

Cavaco Silva só pode ser criticado, na minha opinião, numa situação, que é no caso de receber para além das suas reformas, as despesas de representação a que tem direito enquanto Presidente da República. A minha dúvida é: ao "abdicar" do vencimento enquanto PR, abdica automaticamente dessas ajudas?

Caso as continue a receber, o PR deve ser duramente criticado, pois acaba a receber mais cerca de 40 mil € anuais (podendo existir uma grande margem de erro neste cálculo), do que receberia caso tivesse "abdicado" das pensões para receber o vencimento enquanto PR. Acaba a prejudicar os cofres do Estado, a prejudicar Portugal e os portugueses, numa altura em que a solidariedade entre as classes mais altas deve estar mais presente, nomeadamente no Presidente da República.


Caso não as receba, as críticas só podem recair na revolta social contra o capitalismo, às quais já todos estamos habituados, e na sua promulgação de um OE2012, que corta em salários e pensões mais baixas que as suas, quando até ele se diz afectado por estes cortes que será de imaginar das famílias e pensionistas mais necessitados...

Haja ponderação e consciência, só assim teremos um rumo.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Boas notícias

  1. Grande ícone da cultura portuguesa, Vasco Graça Moura, foi o escolhido para presidente do conselho de administração da Fundação do CCB! Acho ridículas as críticas a esta nomeação, ainda para mais quando se ouvem frases como: "é evidente que quem sai prejudicado desta amálgama é o próprio doutor Vasco Graça Moura, independentemente do seu mérito", do lado socialista. Independentemente do seu mérito? Demagogia é a única coisa que vive em certos corpos...
  2. O Governo estabeleceu limites ao número de pessoas que podem integrar os gabinetes dos ministros e dos secretários de Estado e determinou a obrigatoriedade de estas nomeações serem feitas através de despacho publicado no Diário da República. Com esta medida reduz significativamente os gastos com pessoal dos ministérios!
  3. A SOPA está a cair e posso voltar a ter o meu MegaUpload para poder partilhar, ficheiros de grandes dimensões com os meus colegas nos trabalhos de grupo, de forma rápida e eficiente!

Da série: declarações que espero que sejam mentira

Pois tenho medo desta realidade!

"Cavaco Silva disse hoje que os 1.300 euros que vai receber por mês da Caixa Geral de Aposentações, para onde descontou durante quase 40 anos, e do fundo de pensões do Banco de Portugal para onde descontou durante quase 30 anos, "quase de certeza que não vão dar para pagar" as suas despesas." - in Negócios Online

Discordo!

Passos Coelho veio hoje dizer que não incentiva à emigração dos jovens, nem está previsto ser criada uma agência de apoio a estes jovens nem estão abertas conversações com outros países para facilitar a integração dos jovens naqueles países.

Discordo plenamente com isto, julgo que seria fulcral nas áreas mais sobre-lotadas em Portugal, uma ajuda governamental para que os seus jovens fossem, pudessem trabalhar, ganhar estabilidade, independência e conhecimentos, mas que se sentissem apoiados e quiçá um dia voltarem com conhecimentos adquiridos, sempre uma mais valia para Portugal.

Cortesia: 31 da Armada


Um vídeo que mostra a verdade da mentira. Uma compilação genial de declarações socialistas associadas ao memorando da troika, assinado e congratulado por socialistas.

Permitam-me acrescentar um ponto, em resposta à entrevista de Carlos Zorrinho ao semanário SOL: "(...) O Governo actual usou a maioria absoluta para nomear de forma indecorosa pessoas politicamente muito próximas, dando um sentimento de pagamento de favores."

Então segundo o DN de hoje, concluo que até os socialistas recém nomeados por este Governo, andaram a fazer favores ao PSD, e na verdade muitos outros andaram, fizeram de tal forma borrada que facilitaram em muito a escolha dos portugueses em 2011.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Boas notícias!

"As multinacionais Comstor e Global Knowledge escolheram Portugal como destino de investimento." - in Negócios Online

Girls&Boys



Diário de Notícias de hoje sobre as nomeações do Governo.

CS (IV)

Na minha opinião um princípio básico ou uma qualidade ou uma formação básica que um jornalista em Portugal deve ter é o conhecimento da Língua Portuguesa! Se lhes falta o básico, difícil é não faltar a qualidade.

"Admissão subst f: admissão - entrada, ingresso"
Não seria confissão?

Desporto!

Boas notícias:

Frederico Gil, conseguiu esta madrugada o melhor resultado de sempre de um tenista português num Grand Slam, ao vencer o espanhol Granollers e passar assim à terceira ronda do Open da Austrália. Irá agora defrontar o 6º mundial, Jo-Wilfried Tsonga. Seja qual for o resultado, o início de época já foi excelente!

Rui Patrício encontra-se em primeiro lugar na votação, do site espanhol 20minutos.es para o melhor guarda redes a jogar na Europa, dentro de um lote de 25 guarda redes que inclui Manuel Neuer, Buffon e Casillas, apesar destas votações serem muito questionáveis é um orgulho ver o trabalho deste jovem guarda redes reconhecido na Europa!

Como em Portugal nunca há só boas notícias...
Más notícias:

Nelson Évora, atleta português, campeão olímpico de Pequim, não vai participar nos Jogos Olímpicos 2012 em Londres, após se ter voltado a lesionar... É uma pena para o atleta e para Portugal, mas esperemos que regresse em força!

As paredes do acesso ao balneário dos visitantes do Estádio José Alvalade XXI, paz, harmonia e consciência ambiental:

2012 em análise

Como todos sabemos este ano não é apenas mais um ano para Portugal, este é o ANO!
Daqui a muitos anos podemos vê-lo como hoje vemos nos livros de história o ano de 1929, a grande depressão, que não alterou a tendência do crescimento económico mundial desde a Rev. Industrial até aos dias de hoje, mas foram 10 anos de muito sofrimento para os povos!

Deixo então aqui o Boletim Estatístico do Banco de Portugal referente a Janeiro de 2012, com o intuito de uma avaliação pessoal sobre o mesmo e a nossa evolução económica neste primeiro mês, do ANO das nossas vidas!

Sem palavras

Não querendo exagerar, sabendo que isto que vou dizer não é linear, mas na minha opinião larga maioria dos jovens que assiste ao Curto Circuito (programa da Sic Radical, que contém um momento de "política", chamado "Politicosfera") tem uma grande aversão à vida política (bem como a maioria que não assiste).

Pela primeira vez assisti a tal momento televisivo, a "Politicosfera"! Curioso para ver esta "grande" análise política e económica, de João Lemos Esteves, que de económica, peço-lhe desculpa, não tem nada!
O que me deixou realmente triste neste programa, foi a forma como este jovem se preparou e os temas em que pegou, para expor a estes jovens nos seus 10 minutos semanais de análise da actualidade política, compostos de frases ocas e ideias sem sentido. Jovens que se já tinham dificuldades em se identificar com a  política, tal discurso só servirá para alargar este fosso e criar grandes problemas de futuro. Devia pensar num discurso de sustentabilidade e incentivo, já que se diz tão preocupado com ambos.

Isto só visto! (vídeo via: facebook)

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

CS (III)

Esta comunicação social é capaz de ser o "bicho" mais incompreensível deste país.

Vejamos, abro o sítio do Económico, numa das minhas visitas diárias ao jornal, e deparo-me com o seguinte título: "Stiglitz critica cortes nos salários e privatizações" (Nobel da Economia 2001). Lendo a notícia reparo que fala genericamente sobre a UE e sobre medidas que ele considera erradas, que agravam a recessão. Mas a julgar pelo título pensei, vem aí uma crítica forte às medidas do Governo português!

Abro o sítio do Negócios, e vejo o seguinte título: "Stiglitz elogia entre parceiros sociais e reforma laboral".
O economista considerou que o acordo abre portas a despedimentos mais fáceis, um passo no bom caminho, um elogio à governação portuguesa!

Pergunto-me então qual o sentido do Diário Económico destacar as declarações negativas do senhor, visto nem terem relação directa com Portugal, ao invés de publicarem a sua opinião acerca do que se passa no nosso país e que caminhos devemos seguir? Não percebo esta CS...

Há azares que vêm por bem!

Não é que Francesco Schettino, comandante do Costa Concordia, só saiu do navio antes de todos, porque ao ajudar os passageiros tropeçou e caiu num bote salva-vidas! Quando deu por si já estava em terra... E a dignidade?

Já ouvi anedotas com menos piada...

Notícias que não "aparecem" nas notícias

Para quem não sabe, foi hoje publicada a lei que vem impor um limite salarial para os gestores dos institutos públicos, reduzindo todos os que auferem um vencimento superior ao tecto estipulado.
Foi também limitado o número de membros dos conselhos directivos dos institutos públicos.

Acordo tripartido

Após 17 horas de reunião Governo e parceiros sociais, que viu a CGTP abandonar a meio, pois recusa-se a trabalhar mais de 8 horas seguidas, chegou-se a acordo com o objectivo de reforçar a competitividade da economia do país.

A primeira medida que destaco, pela positiva, deste acordo é o facto do trabalhador poder trabalhar menos horas num dia e compensar no outro sem que isso se reflicta em horas extraordinárias e encargos para os patrões, dando assim muito mais flexibilidade e simplicidade nas relações trabalhador-empregador.

Segunda aspecto que destaco pela positiva foi a mudança de atitude da UGT, que apesar de não estar totalmente satisfeita com o acordo, numa base de diálogo, consciente dos problemas que o país atravessa, colocou os seus interesses para trás das costas e procurou chegar ao acordo tão necessário para o país, afirmando até que o acordo é favorável para os trabalhadores.

Satisfeitos ficaram também António Saraiva, presidente da CIP, e João Vieira Lopes, presidente da CCP, com a queda da meia hora extra de trabalho em detrimento da criação de uma bolsa de horas anual que o empregador poderá usar em caso de necessidade da empresa e que varia entre as 150 e as 200 horas consoante o contrato de trabalho e da alteração de férias, feriados e pontes.

Por fim, deixa-me bastante orgulhoso o governo não esquecer os cursos de formação profissional, onde pretende promover uma maior articulação entre empresas, escolas e estudantes, com o objectivo de aumentar os níveis de qualificação. Reduzir e eliminar alguns cursos de formação profissional do IEFP está também na agenda do documento, em prol do reforço dos que têm maiores níveis de empregabilidade.

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

CS (II)

A dita mão "azul" de Sócrates na CS foi mais uma vez enunciada, hoje pela voz de José Manuel Fernandes, antigo director do Público, que durante a comissão parlamentar declarou:

"Durante as audições deste grupo de trabalho [nomeado em agosto último pelo atual Governo para estudar e fazer uma proposta de reforma do serviço público de comunicação social] ficámos a saber, por exemplo, que o anterior poder político contratava diretamente com o antigo diretor da agência de informação [Lusa] a cobertura e a contratação, inclusivamente de jornalistas, para garantir a cobertura eleitoral durante o período das eleições de 2009".

"Isso era feito - acrescentou José Manuel Fernandes - inclusivamente à revelia do ministério da tutela. São coisas que nós ficámos a saber. Talvez um dia este Parlamento se interesse por investigar melhor as coisas que se passam nas empresas públicas. Porque muitas coisas desse género se passaram nas empresas públicas na anterior legislatura e, infelizmente, a entidade reguladora [para a Comunicação Social, ERC] encarregou-se de branquear muitas delas" - in iOnline

Respeito

Todos sabemos que Jardim tem posto em causas muitos princípios da Democracia enquanto líder Regional, mas os palhaços costumam estar no circo...

CS (I)

Ontem tínhamos como manchete do Público: "Passos já fez mais nomeações do que primeiro Governo de Sócrates".

Escândalo! Um Governo de austeridade... Impensável! É o primeiro pensamento, e o pensamento que vai prevalecer...

Mas alguém lê notícias? Ou fica-mo-nos pelas "gordas"?
Pelos vistos o jornal deveria ter um jornalista destacado para que no exacto momento em que este Governo passasse o Governo de Sócrates em nomeações (neste caso em 4) o escândalo bailasse, mesmo que para tal fossem preciso passar 4 anos subentende-se, visto que a comparação feita foi entre dois meses e meio de Sócrates e sete meses de Passos Coelho!

Hoje é a própria Direcção Editorial do jornal que vem admitir, e pedir desculpas, por essa comparação que nunca poderia ser feita pois põe em paralelo dois períodos de tempo distintos para cada um dos casos!

Continuaremos a assistir à mão "azul" de Sócrates nos nossos meios de Comunicação Social?

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Problemas

A presidente da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento está em sarilhos, parece que quando era Ministra da Educação no Governo de Sócrates não esqueceu os seus, e isso pode (e deve!) sair-lhe caro...

As adjudicações directas dos Governos Sócrates, 6 anos a arruinar Portugal...

Bom dia!

Sarkozy acordou agora, ao deixar o apelo "a todas as instituições europeias, que devem, agora mais do que nunca, mobilizar-se para salvaguardar o euro".

Esperemos que como diz o povo, a necessidade aguce o engenho, desta potência!

Novo Acordo Ortográfico

"Menos 800 mil espetadores nos cinemas portugueses" - in Expresso

Se a língua portuguesa já tinha um duplo sentido bastante interessante, parece que está prestes a melhorar! 

domingo, 15 de janeiro de 2012

Blogs do Ano 2011

Começou hoje a votação para os blogs do ano 2011.
Inscrevi este blog com o objectivo de divulgação e de recompensa,tanto pela permanente actualização do mesmo como pela sua evolução qualitativa.
Este blog encontra-se em votação na categoria Actualidade Política (Individuais). E podem votar a partir do link: http://aventar.eu/blogs-do-ano-2011/

Obrigado a todos!

Liberdade

O PCP proíbe militantes maçons. Os princípios de liberdade neste partido morreram...

Juventude Social-Democrata

A JSD foi hoje aceite como membro da União Internacional de Jovens Democratas (IYDU), no Conselho Mundial desta organização, em Sydney.

Uma organização que promove a defesa dos Direitos Humanos e os ideais da Democracia, juntamente com a liberdade de iniciativa e dos mercados, que conta com membros dos 5 continentes, é sempre uma mais valia e motivo de orgulho para a juventude do nosso país!

Braga, Capital Europeia da Juventude

Dakar 2012

Hélder Rodrigues (3º) venceu duas etapas, a 9º e a penúltima, e calmamente garantiu o pódio nesta edição da prova todo-o-terreno Dakar2012, o 2º consecutivo!
Carlos Sousa  (7º) e Ricardo Leal dos Santos (8º) no top-10 nos carros!

Parabéns a todos os portugueses em prova, de recordar que Cyril Déspres foi ajudado por Paulo Gonçalves na 8ª etapa a para sair do barro e depois o deixou para trás, o que poderia trazer um resultado bem diferente nas classificações, embora já se saiba a "mão" francesa nesta competição.

Problema/Inevitabilidade?

O Governo vai discutir amanhã uma proposta, que pretende diminuir o desemprego em Portugal, pagando aos desempregados 50% do seu subsídio, durante 6 meses, caso aceitem uma oferta inferior ao seu subsídio, ou 25% do subsídio, durante um ano.

São importantes medidas como esta, que diminuam os níveis de desemprego em Portugal.



A questão que coloco é: se o trabalhador aceitar um contrato cuja remuneração seja, por exemplo, 90% do subsídio, receberá os 50% do subsídio compensatórios, ou apenas 10%? Conta o salário bruto ou líquido?

Levará esta medida a um desemprego rotativo entre os desempregados, de ano a ano?

Esta medida é uma grande medida desde que bem controlada e escalonada!

Durante muitos anos os portugueses preferiram ficar com o rabinho no sofá a receber o seu subsídio/pensão a aceitar trabalhar por remunerações iguais, com perspectiva de evolução e aumento gradual, agora sentem na pele as consequências disso e a sua incapacidade para alterar este domínio privado.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Recordar (II)

Críticas oiço muitas à nomeação de Eduardo Catroga para o conselho da, empresa privada, EDP, não me lembro de nada assim...

Mas há uma coisa que sei, não me lembro, mas sei que aconteceu. É uma história de um senhor de Vinhais, também ele estudante de Filosofia, mas sem curso concluído. Pós-graduado antes de qualquer licenciatura! Mas claro, logo descobriu, a melhor "loja" para a obter, e lá arranjou uma licenciatura em Relações Internacionais na Independente, essa tão afamada Universidade, o ex libris do ensino superior português, como se constatou neste aluno, que três dias após findada a licenciatura foi nomeado para a administração da CGD!!! e só de lá saiu para ir para a vice-presidência do BCP! Mas obviamente, que este senhor era tão genial que um mês e meio depois de ter saído da CGD foi promovido ao maior escalão de vencimento que lhe dá direito a uma pensão vitalícia de 2000€!

No Governo, exerceu cargos no Ministério da Administração Interna, como Ministro Adjunto do Primeiro Ministro e Ministro da Juventude e Desporto, mérito dos seus estudos em Filosofia, Gestão Empresarial e Relações Internacionais. Este homem fez tanto, que até criou uma fundação que ao fim de um ano já lhe davam o nome dele, onde estoirou 400 mil contos em campanhas entregues a agências sem concurso (burocracias) e ainda teve a uma quinta e um forte nos arredores da capital.
Ah! De frisar que tem ele também uma bela moradia em Montemor-o-Novo, nunca faltará um lugar no coração deste homem para os Engenheiros do Gabinete de Estudos e Planeamento de Instalações do MAI.

E pronto, é a partir daí que este sujeito, se vê forçado a abandonar as luzes da ribalta para passar a frequentar os tribunais desse país. Tudo por causa de umas alheiras e robalos, diz o principal.

Veja-se bem que até a Troika, que ainda agora chegou, já andava a investigar este homem, há pessoas sem sorte...
Difícil é não saber quem é e o cartão que é portador...

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Recordar (I)

Ana Jorge enquanto Ministra da Saúde, fez acordos com as farmácias, dando o dito por não dito, e os preços dos medicamentos encareciam, fruto desses acordos com a associação de farmácias, que suscitavam dúvidas, e que tornava mais difícil o acesso à cura por parte do doente, para não falar dos encargos do Estado em comparticipações que eram maiores com medicamentos mais caros.

Critica-se agora o ministério da saúde por se esforçar em manter o SNS vivo, com o aumento das taxas moderadoras, dando mais sustentabilidade ao sistema, encarecendo o acesso ao diagnóstico a alguns, mas baixando o preço da cura, e os gastos do Estado em comparticipações.

Na altura era mais importante uma pessoa saber que estava doente do que curar-se.

De frisar que andávamos a pagar os medicamentos com base nos valores dos seguintes países: Espanha, Itália, França e Grécia, e passaremos a pagar com base nos preços de Espanha, Itália e Eslovénia.

Subscrevo

"EDP e nomes para o conselho geral e de supervisão
Tenho tentado resistir a escrever sobre este assunto mas acabo por sentir a necessidade de colocar uma preocupação para discussão.
Face aos nomes apresentados, houve uma contestação geral à opção política das pessoas escolhidas. Contestação que continha implícita ou explícita a ideia de que haveria uma “componente política” nessas escolhas, dadas as opções políticas dos escolhidos.
Os accionistas privados vieram já esclarecer que não houve qualquer interferência do Estado nessa escolha. O Ministro das Finanças disse o mesmo. Aceitemos a explicação, não vejo qualquer razão para não acreditar no que foi dito.
Trata-se de uma empresa privada (ainda que não esteja seca a tinta das canetas da venda ao grupo chinês), que tem o direito de ter as escolhas que entender mais adequadas.
Mas é aqui afinal que nasce a preocupação. Se a opção política das pessoas escolhidas foi nalgum sentido relevante (e nunca se saberá qual o seu grau de importância real na proposta apresentada) para os accionistas privados, é porque estes julgam que essa proximidade política será de alguma forma vantajosa para a empresa (seja pela capacidade de acesso a decisores públicos cruciais, pela agenda telefónica, pelo conhecimento adquirido em funções públicos, o que for). Ora, pensar que esta possível proximidade é um potencial critério de escolha (livre) dos accionistas faz pensar sobre as ligações das grandes empresas ao poder público, e sobre a capacidade do poder público poder libertar-se das “rendas económicas” que têm sido mantidas (e basta recordar aqui a entrevista dada há poucos dias pelo Secretário de Estado da Energia a um jornal). A estreita ligação entre as grandes empresas produtoras de bens não transaccionáveis e o poder público é aliás uma das preocupações que tem estado expressa em várias análises da economia portuguesa, não é uma ideia original minha.
Resta agora ao Governo mostrar total independência a essa possível “influência” dos actuais escolhidos pelos accionistas privados. É aqui que se joga parte do valor da privatização da EDP para a economia portuguesa. Não será fácil, tem porém a vantagem de depender apenas da vontade do Governo mostrar-se independente dessas “influências”.
O escrutínio público não deve ser sobre as escolhas dos accionistas privados sobre quem deve ou não pertencer ao conselho de geral e de supervisão da EDP. Deve ser a partir de agora sobre as opções de política do Governo e sobre as decisões de regulação do sector. Será essa a verdadeira prova da independência das escolhas feitas pelos accionistas da EDP face ao poder político."

Por Pedro Pita Barros

Aconselho a visualização

Desta resposta.

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

À semelhança da sua licenciatura

Também os documentos do processo não foram mais além do que fotocópias... Falsas!

"Eng." José Sócrates, nada na sua vida profissional tem carimbo oficial.

Boys

Uma coisa é colocar-se pessoas, com qualificações e capacidade para gerir os organismos públicos, na sua gestão e administração, outra é por-se pessoas com provas de incompetência dadas, de despesismo e irresponsabilidade nestes cargos.

Ah Sr. Manuel Frexes, mérito nessa nomeação, é nenhum!

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Bola de Ouro 2011

Fica aqui a lista de votações.

Concurso de Blogues

Apenas pretendo divulgar, para continuar a crescer, mas já agora, a quem quiser inscrever o seu blogue, ou vir a votar no meu! Fica aqui o link.

Uma iniciativa: Aventar.

Era tudo à grande...

O antigo ministro da Justiça, Alberto Martins, só em Junho gastou 3500€ em refeições... Mas ele nem tá assim tão gordo, realmente, num mês em que já não se declaravam Governo, coisa estranha.

domingo, 8 de janeiro de 2012

Há coisas que nunca mudam

E o futebol é uma delas, Portugal pode estar com a corda ao pescoço mas ninguém sonha alguma vez em cortar nada nesta matéria...

Líderes... no hotel!

sábado, 7 de janeiro de 2012

Curioso para ver

Solicitado pela associação sindical de juízes, num processo que se arrastava desde 2010, o STA ordena assim o Ministério das finanças a divulgar as despesas em cartões de crédito e telemóvel, assim como os seus utilizadores autorizados e beneficiários, de José Sócrates.


Finalmente alguma associação sindical faz algo que me deixa interessado e curioso...

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Subscrevo o que vos apresento!

"Geração André
25 de Dezembro. Foi o último dia do André na redacção. Sentou-se à mesa, no bar, como se fosse ficar ali para sempre. Como se aquela fosse a sua casa. Como se a dedicação e o brilhantismo de seis meses de estágio fossem suficientes para garantir um lugar entre nós.
O André foi o melhor estagiário que passou por aquela redacção desde que cheguei. O André trabalhou dia e noite, fez sábados, domingos e feriados. Dispensou folgas, esqueceu horários, correu, transpirou, apanhou chuva, frio e voltou sempre com aquele sorriso de quem ama o jornalismo. O André fez reportagens brilhantes: entrevistou ministros, pescadores, sem-abrigo, artistas de circo, sempre com o mesmo rigor, a mesma dedicação, o mesmo profissionalismo. O André aprendeu a editar, a legendar, a sonorizar e a escrever como poucos. O André será um grande jornalista deste país, se o país deixar. O André foi-se embora no dia de Natal, depois de mais uma jornada de intenso trabalho na redacção. Acabou o estágio.
A crise. A crise. A “crise diz” que não há espaço para o André numa empresa com nove milhões de lucro. O André não é bom. O André é muito bom. Mas ser muito bom não chega num país liderado por medíocres. E é este o drama da geração do André. Esqueçam esse eufemismo da “geração à rasca”. Esta é a geração sem futuro num país liderado por uma geração parida pelas “vacas gordas” do cavaquismo à qual o guterrismo deu de mamar. É esta, sim. É esta a geração que mostrou o rabo indignada contra o aumento de meia-dúzia de tostões nas propinas. Tão rebeldes que eles eram.
Chegou ao poder a geração do “baixa as calças”, a geração jota. É a mesma coisa. Quando não havia emprego, sobrava o partido. Quando não havia partido, sobrava o amigo do partido, ou uma sociedade de advogados. E foi andando assim, nos anos loucos do Portugal do “Progresso” de Cavaco Silva, ou no país da “Razão e Coração” de Guterres. Foi-se o Progresso, ficou o monstro do Estado cheio de parasitas. Faltou a razão e o coração começou a vacilar. Já instalada nos corredores do poder, a geração habituada a baixar as calças, indignada claro, calou-se e deixou-se embalar. O poder… O poder ali tão perto.
Hoje, é a geração que cresceu no tempo das “vacas-gordas” que vem falar de flexibilização laboral. Que fale. Que avance para a reforma do mercado de trabalho, sem medo, mas que entenda que isso só faz sentido se for para proteger os “Andrés” deste país. O problema é que a geração do poder, habituada a baixar as calças, fala pelos livros: leu por aí qualquer coisa sobre isso. Sopraram-lhe.
É disso que os abutres gostam: de quem baixa as calças e não sabe muito bem do que fala. É aqui que mora o perigo.
A reforma da legislação laboral deve ser feita em nome dos miúdos como o André e não para desafogar empresas que em dez anos acumularam mais de 500 milhões de lucro. O ponto de honra tem de ser outro: valorizar o mérito e conceder oportunidade a quem mostra que tem valor. Dói? Vai doer a alguém, claro. Vai doer a quem está há anos encostado, por preguiça, a fazer os serviços mínimos na empresa, a quem não acrescenta valor, a quem não veste a camisola, nem está disposto a inovar e a tentar fazer diferente todos os dias. A esses vai doer. Que doa!
Essa reforma deve ser feita tendo por base a ideia de que um estagiário como o André, brilhante, depois de seis meses a pagar para trabalhar, não pode não ser absorvido por uma empresa que dá nove milhões de lucro. Não pode. Doa a quem doer. Se para isso é preciso flexibilizar o despedimento do medíocre, do preguiçoso, do incompetente, vamos a isso. Um país que desperdiça a geração do André é um país condenado. Estes miúdos já não exigem um emprego para a vida. Querem apenas uma oportunidade. (...)"

Por Filipe Mendonça

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

O que as empresas francesas dizem... Nós por cá..

"O Movimento das Empresas de França diz que, mais do que uma necessidade social, a descida da TSU vai traduzir-se numa “vantagem social”." - in Público

Agradecimento especial

Ao Alexandre Soares dos Santos por ter desistido do seu país.